SOBRE PANDEMONIUM

Em Paraíso perdido, de John Milton, Pandemonium é a capital do inferno, local onde todos os demônios se encontram em conselho para discutir seus planos. É também significado de confusão, caos e balbúrdia. Tal metáfora pode ser utilizada para descrever o processo criativo do designer gráfico, cuja mente funciona como um caldeirão fervilhante de informações interligadas em uma rede complexa. Ao contrário do que se imagina, as ideias não surgem de uma inspiração divina ou um pensamento ordenado e previsível. Nascem da prática repetitiva, do esforço e da experimentação, constituídos a partir do repertório particular de cada designer.

Processo de criação em design gráfico: Pandemonium é o livro de Leopoldo Leal, fruto de sua tese de doutorado apresentada em 2019 e que teve como objetivo compreender o processo criativo em design gráfico no qual o acaso e a experimentação estão inseridos.

Baseou-se nas oito fases do processo criativo descritos por Robert Keith Sawyer. Essas fases constituem a estrutura do projeto e propiciam clareza e entendimento de todo o processo de criação, que não ocorre de maneira linear, e constata-se que os experimentos práticos de um trabalho experimental em design podem partir de qualquer material; quer sejam, cartões de ponto, palitinhos ou mesmo de uma coleção de códigos de barras. Mesmo quando é estabelecido um ponto de chegada—no caso dos experimentos, o desenho da palavra “pandemonium”—, não se sabe de antemão o resultado que se apresentará, pois isso depende das decisões e dos caminhos que serão tomados. O processo criativo se constitui à medida que o projeto se desenvolve, havendo sempre desvios, erros, improvisações e surpresas que ajudam a construí-lo.

"O PANDEMÔNIO, PALÁCIO DE SATÃ, ERGUE-SE SUBITAMENTE CONSTRUÍDO NO INFERNO; OS PARES INFERNAIS ALI SE ASSENTAM EM CONSELHO."

John Milton,
Paraíso perdido

Prêmios

"APRENDER (...) POR MEIO DA EXPERIMENTAÇÃO PEDE MAIS QUE TEMPO, REQUER DESVIOS E DESCAMINHOS. ANDAR INICIA COM ENGATINHAR; FALAR, COM BALBUCIAR."

Josef Albers

Leopoldo Leal é doutor em design pela FAUUSP. Atua como professor e designer. Com mais de 20 anos de experiência, trabalhou como designer na Landor, Interbrand, Futurebrand e GAD’ Branding.

O seu livro Processo de criação em design gráfico: Pandemonium, é fruto de sua tese de doutorado, que foi premiada em 1º lugar no Prêmio do Museu da Casa Brasileira, selecionada para o Type Directors Club de Nova Iorque (TDC66) assim como para a 13º Bienal da ADG, premiado no Brasil Design Award 2020 e LAD Awards 2021.

Atualmente Leopoldo intensifica sua pesquisa sobre processos de criação em design gráfico, palestrando e produzindo oficinas e experimentos gráficos.

EDUCAÇÃO

2019 Doutorado em Design e Arquitetura na FAUUSP

2014 Design Camp na Kolding Designskolen, Dinamarca

2004 Pós-graduação em Design Gráfico no Senac

2001 Graduação em Design Gráfico na USJT

1997 Liceu de Artes e Ofícios

EXPERIÊNCIA ACADÊMICA

2016–atualmente Professor na EBAC

2014–atualmente Professor da pós-graduação do Senac

2009–2016 Professor na Miami Ad School

EXPERIÊNCIA PROFISSIONAL

2020–atualmente Pharus Design

2015–2017 Diretor de Design na Landor

2012–2014 Designer freelancer na Pharus Design

2012–2012 Gerente de Design no Gad’Lippincott

2006–2011 Designer Sênior na Interbrand

2005–2006 Designer na FutureBrand

2002–2005 Designer no GAD’Branding

2001–2001 Designer na DTS Consulting

1998–2000 Estagiário na Liramax

PRÊMIOS

2021 LAD Awards

2021 2020 Brasil Design Awards

2020 Type Directors Club Nova Iorque (TDC66)

2019 1º colocado no Museu da Casa Brasileira

2019 13º Bienal de Design Gráfico ADG

2017 IF Communication Design Awards

2015 IF Communication Design Awards

2015 11º Bienal de Design Gráfico ADG

2013 Idea Brasil

2013 10º Bienal de Design Gráfico ADG

2012 Idea Brasil

2010 DDC Gute Gestaltung 10

2009 Corporate Design Preis

2009 IF Communication Design Awards

2009 Red Dot

2009 9º Bienal de Design Gráfico ADG

2005 1º colocado na Semana de Moda

2001 2º colocado na Mostra Seletiva Typodrome